Caneta e Papel

(com qualquer ou nenhuma inspiração.)

Rumo ao HEXA!

São 14:00 de uma terça-feira. Um dia útil, de trabalho frenético, tomo mundo ralando e estudando pacas, certo? Não no Brasil!

Você conhece alguma outra nação no planeta que simplesmente PARE por um jogo de futebol? Só o povo brasileiro!

Hoje a seleção pentacampeã começa seu traçado rumo à sexta estrelinha. E o país ferve por todos lados!

 

 

 

 

 

E já estou toda coberta de verde e amarelo! Torço, berro, grito demais! Tanto que assisto jogo separada do resto da família. Aliás, desde 1994 que minha garganta simplesmente fecha durante a Copa. Nada que um Benzetacil não tenha resolvido. 😡

Entrando no clima! Vai começarrr a Copa do Mundo pra gente!!

#TAMOJUNTO, DUNGA!! #TAMOJUNTO, SELEÇÃO!!

Antipática.. eu?

Olha, já ouvi de tudo: que sou séria demais, que pareço estar sempre brava, que pareço metida, que aparento ser orgulhosa e, blá, blá, blá. Isso é recorrente.

Agora, antipática? Até de grossa já me chamaram e, confesso, que até sou. Mas só quando engrossam comigo primeiro (perder a razão não é comigo). Até onde sei me mantenho sempre muito educada (ainda que esteja emputecida por dentro).

Mas antipática JAMAIS. O pior é saber que quem disse isso eu tratei bem.

Relationship

Já passeio pela internet há anos. Uma década e mais 2 anos. Descobri por acaso que aqui é minha praia. Não fiz curso, aprendi tudo fuçando, tendo o computador invadido, lendo, pondo em prática. Meu amor fica bobo com os conhecimentos que tenho. Nem tanto assim, coisa pouca. Não tive saco pra ser hacker, cracker (ainda bem, pois não ia prestar nadinha). Aí sim, seria  animalesco! 😛

Tive momentos viciantes, viciados e de aprendizado também. E de todas as (in)utilidades que descobri, só mantenho isso aqui, o orkut e o twitter. Por pura vontade de informação e de manter uns contatos. Já perdi tanto tempo que agora me penitencio.

Internet virou arma. De estudos. Leio tranquilamente e acho praticamente tudo que preciso. Transformei completamente o meu modo de relacionar com esse instrumento. Tudo que sempre desejei e reclamava tanto não conseguir.

Agora, uso esse tempo a meu favor. Quando ligo o notebook, é claro. Porque até isso foi transformado em mim. Benesses do trabalho.

Falando em tempo a favor, estou tentando montar um novo quadro de estudos. Visando meu próximo trabalho. E, se estou com essa vontade toda, é porque está bem próximo de acontecer. Só preciso completá-lo corretamente.

#beijotchau

Volta (e meia).

Depois de alguns intervalos (longos até), resolvi voltar a escrever nesse treco. Cotidianamente, se possível.
Algumas coisas têm acontecido internamente. Tenho sentido vontade de me debulhar em letras.
Bom, nem só em letras, é verdade.
Junho chegou. Desse mês em diante muitas coisas irão acontecer. Tá, coisas acontecem todo segundo. Mas me refiro a coisas muito importantes para mim. Muitas coisas em jogo. Todos os avisos foram devidamente dados.
Vou escrevendo enquanto acontece. Quase real time. Se der.

Neste momento, estou em cólicas. Digo, com cólicas. Isso é uma verdadeira droga!
Fora essas dores todas que sinto ultimamente, estava baixando vários, vários arquivos para concurso. Há 6 anos atrás tive que tomar uma atitude parecida. Preciso subir, urgentemente, o máximo de degraus possíveis.

E no twitter, uma hashtag trouxe lembranças tristes: nunca tive uma Barbie. Posso dizer que superei a mágoa, mas não a lembrança. Sempre entendi que meus pais não poderiam comprar uma bonequinha dessa, por mais simples que fosse, ainda que não viesse com nenhum outro apetrecho. O dinheiro era milimetricamente contadinho. Preferiam gastar nos meus estudos e livros, o que foi minha salvação.

Mas até hoje, quando vejo uma Barbie, fico lembrando da sensação que tinha quando criança. Palavras não conseguem expressar o que era aquilo. Nunca me revoltei por conta disso. Só aprendi a guardar isso também na minha caixinha da motivação.

Outro dia falo mais disso. A bateria tá descarregando, já passa da meia-noite, o feriado acabou e amanhã, benza-Deus, vou trabalhar.

#beijoca

..and June is coming.

Uma coisa de louco: tão diferentes e tão afins.
Queria ser encontrada e ele dizia não acreditar que pudesse ser novamente conquistado.
Eu nem percebia; ele tentava chamar minha atenção de todas as formas.
Quis desistir de mim, me subestimou com certeza, pagou pra ver.
Quando me toquei, busquei entender o que era e também paguei pra ver.
Não me arrependi nenhum milímetro. E foi só um beijo, num forró (que eu nem gostava, ele me influenciou).
Os ‘nunca’ que eu me garantia caíram por terra. Mas nem todos.
Tem um que volta e meia me deixa paralisada em pensamentos.
Alguma coisa ficou fora do lugar?
Eu? Talvez não.
O que, então?
Hoje acordei com a certeza de que finalmente estou amando alguém nessa vida.

Tamo junto!

Alow, mundo!

Então, tô aqui cascaviando esse blog. É incrível como coisas que antes inutilmente me ocupavam já não me excitam tanto. Ou ao menos não tem tanto da minha atenção.

Agindo mais que escrevendo: é a pura verdade. Muita coisa tem acontecido desde o último arremedo de postagem. Tá querendo saber se sai de casa mesmo ou era só fogo de palha? Sim, saí. Mesmo. Se minha madrecita aceitou numa boa? Não, não mesmo. O que ninguém esperava era a coragem da pessoa aqui. Sei lá, quando decisão é PRA VALER não há quem faça mudar. Só aquele cara lá de riba. Fiz isso muito por mim, não foi pra contrariar o mundo. Acho que me devia essa.

Morando só, tendo que me virar SOZINHA, me descobrindo e me desdobrando para cuidar de moi. Sou muito capaz, desde que tenha uma cama, uma máquina de lavar, um fogão, uma televisão e uma geladeira (o único item de sobrevivência que falta comprar). Ah, e INTERNET! Imprescindível? Nem tanto. Descobri outra funções pra esse treco (vide a demora pra atualizar isso daqui). Imprescindíveis são caneta e papel pra deixar tudo que é gasto devidamente planejado. Quem diria, hein?

Já estou fora da casa materna há mais de um mês. Minha mãe e eu estamos nos redescobrindo. Nada tira de minha cabeça que isso será ótimo para ambas. Ela ainda dá umas cutucadinhas, joga umas ironiazinhas, mas.. coisa de mãe, né? Meus irmãos aceitaram numa boa. Pelo menos é o que parece. Algumas coisas em nossos relacionamentos mudaram, meio melindrado, mas acredito no poder de cura do tempo. Ou na tomada de consciência, enfim.

Vivendo, aprendendo e… o que mais mesmo?

E com a vidadeconcurseiradesempre.com.br. A idade tá passando, isso tudo tá cansando, mas a hora é essa. Preciso fazer mais, muito mais. O melhor é que estou no caminho certo.

Pra terminar, as vezes penso em deletar esse blog. Outras vezes, quero trocar de hospedagem. Mas no fim das contas acabo vindo aqui e escrevendo baboseiras. Ainda há coisas que não mudam nunca, rsrs.

%d blogueiros gostam disto: